Pular para o conteúdo principal

Destaques

Tendência Breezy Dress Chega Diversificada na Renner

De corte amplo e comprimento midi, os breezy dresses são os mais novos vestidos que dominam o street style e se destacam pela fluidez em versões curtas e mais longas. Com estampas, amarrações e recortes, as peças chegam na Renner em modelos variados e aliam tendências da temporada e com opções que levam o Selo Re - Moda Responsável da marca.
Conhecido como o "vestido-tendência" do momento, o item garante protagonismo para além da estação e transita com facilidade entre looks de outono e verão, sobretudo, pela modelagem ampla e mix de trends como as mangas bufantes, camadas e detalhes românticos. Com uma gama variada de cores e tamanhos, as peças vestem corpos diversos e se adequam aos vários estilos pelos tons neutros, coloridos, pastel e estampas, como floral, poá e animal print.


Com ares dos anos 80, as mangas bufantes contemplam algumas das opções da Renner e retomam a tendência que volta para inovar no dia a dia. Os modelos se destacam pela estampa floral em rosa, de saia …

Eu e a MG - Mês de Conscientização e Dia Mundial da Miastenia


Junho é mês de conscientização da Miastenia e hoje é Dia Mundial da Miastenia. Datas como estas são de extrema importância para divulgarmos uma doença que é rara e que apresenta variações de sintomas de acordo com cada paciente, o que leva a um difícil diagnóstico, pois não são todos os médicos que a conhecem bem, mas sim, somente alguns especialistas.



Em geral a Miastenia Gravis é de origem autoimune e causa fraqueza muscular de braços, pernas, queda das pálpebras, visão dupla, dificuldade para falar, mastigar e engolir.

Eu sou um ponto fora da curva, minha miastenia não é de origem autoimune, o que dificulta, pois como já disse aqui, não tenho tratamento para as crises, somente tratamento de base. Meus sintomas são, fraqueza muscular generalizada que, quando expressiva, acomete a parte respiratória. É complicado, pois casos como o meu não estão estampados em muitos livros de medicina, então, quando passo por um médico desconhecido tenho de explicar todo meu quadro detalhadamente e ainda justificar o diagnóstico dando o nome do meu neurologista, que é um grande especialista da área, para que, enfim, acreditarem em mim. Pois, dos médicos que conhecem Miastenia, muitos não tem conhecimento que existe uma forma não autoimune da mesma.

Para mais textos meus sobre Miastenia, clique aqui!

Em meu Instagram compartilho um pouco da minha vivência com ela, mas esse mês pretendo dividir ainda mais meu dia a dia, para que saibam como é ter Miastenia. Me acompanhem lá, @shelybianchi!


Beijos e força para todos!

Comentários

Postagens mais visitadas