Pular para o conteúdo principal

Destaques

SALVATORE FERRAGAMO: Campanha Primavera-Verão 2021

Suspense, intriga e belas estrelas na campanha primavera-verão 2021 da Salvatore Ferragamo - “Director’s Cut”. Cortada diretamente pelo diretor indicado ao Oscar Luca Guadagnino da atmosfera do filme para a coleção, a campanha de Salvatore Ferragamo para a primavera-verão 2021 é uma obra-prima de refinamento do suspense. O portfólio de fotos e um curta, com curadoria de Guadagnino ao lado do diretor criativo Salvatore Ferragamo, Paul Andrew, se baseia no filme inspirado em Alfred Hitchcock, ambientado em Milão, que foi exibido antes do desfile de moda em setembro de 2020. Concebida como uma homenagem a Hollywood – o local do primeiro sucesso de nosso fundador – e a Milão – o local da expressão da moda de Salvatore Ferragamo no século 21 – a campanha combina nossa herança de artesanato artístico e inovação técnica. O elenco de Guadagnino é composto por Mariacarla Boscono, Maggie Cheng, Jonas Glöer, Samer Rahma e Anok Yai. A alquimia do olho do diretor os reúne em uma série de mise-en-sc

Risco X Benefício




Este texto não pretende focar em questões políticas envolvidas na pandemia do coronavírus, mas sim, na principal chance de cura até o momento. Mesmo que mínima, ou trouxesse efeitos colaterais em demasia, dever-se-ia ser levada em conta. Posso dizer isso com propriedade, pois tenho uma doença crônica parcialmente tratável (não me garante uma vida normal) e sem tratamento específico para as eventuais crises. Tivesse eu uma chance, mesmo que pequena, agarrar-me-ia forte a ela.

Aliás, essa questão de efeitos colaterais está sendo alçada a uma categoria que eu julgava não existir, pois nunca soube de pacientes oncológicos recusarem com frequência quimioterapia por conta dos efeitos colaterais. O que é um sintoma menor diante da possibilidade de cura?

As pessoas têm direito sobre seus próprios corpos. Cabe ao paciente aceitar ou não o tratamento. Sendo assim, ninguém deveria impedir seu acesso a ele. Hoje, misteriosamente, não se encontra mais a Cloroquina nas farmácias de São Paulo. Como ficam os pacientes com lúpus ou artrite reumatoide? Interrompem seus tratamentos?

Não entendo o porquê das pessoas diagnosticadas com Covid-19 recusarem-se a tomar Cloroquina. Milhares de pessoas, com distintos diagnósticos, buscam tratamentos alternativos (o que eu não faria mas também não julgo que o faz), muitos sem comprovação científica alguma e, de repente, diante de um tratamento já comprovado pela prática, fecham os olhos. O que será que se passa na cabeça dessas pessoas?

Como disse, a Cloroquina é uma medicação com ação já documentada contra o Covid-19, como podem ver a seguir:






Muito me entristece ver a grande mídia corroborando com isso e, dessa forma, desinformando a população que, um sua maioria, está com o televisor ligado 24 horas por dia. Meu blog tem um alcance ínfimo diante deles, mas espero que, com esse texto, eu possa contribuir com a cura de algumas pessoas.

Comentários

Postagens mais visitadas