Pular para o conteúdo principal

Destaques

Como Fazer um Vaso Suspenso - DIY

Olá

Hoje, vou ensinar a fazer um vaso suspenso. Aqui em casa é a única forma que posso cultivar plantinhas, pois meus filhos (um casal de gatos) comem todas as que estiverem ao alcance deles.
Eu e meu marido montamos o vaso para abrigar uma cebola que brotou na gaveta da geladeira. Todos os materiais que usamos tínhamos em casa, mas, caso você não os tinha pode encontrá-los na Leroy Merlin - me patrocina Leroy?




Você vai precisar de um pote de vidro, mais ou menos dois metros de cabo de aço, uma abraçadeira e uma roldana com parafuso.  

Enrolamos o cabo de aço em volta da boca do pote, com uma das pontas saindo pela trava dele e outra pela tampa. Unimos as duas pontas com a abraçadeira para ficar bem seguro, em seguida passamos o restante do cabo pela roldana, a qual parafusados em uma prateleira, e finalizamos com várias voltas e amarrações do cabo na mão francesa que sustenta a prateleira.  




Muito fácil e lindo!
E você, gostou?

Mãe de Gato


O sono havia chegado, então, com meu tricot, cobri meu filho, que já dormia tranquilamente. Ajeitei meus travesseiros, peguei minha filha nos braços e deitamos. Ela acomodou-se em mim, assim como faz toda noite. Encostou sua barriga na minha, repousou sua cabeça em meu peito e esticou a pata esquerda sobre minha cintura. Ensaiamos um cochilo, até que meu filho entrou em sono profundo e começou a roncar. E foi ao som de um ressono que despertamos. Minutos depois, acostumamo-nos com o barulho e voltamos a dormir, até que algum vizinho chegou e subiu as escadas do prédio, rumo ao seu apartamento, de maneira nada adequada ao horário. E assim, mais uma vez despertamos, porém, desta vez, os três. Meu filho se espreguiçou, deu uma volta ao seu redor e pôs-se a dormir novamente. Já minha filha avistou um inseto no canto do quarto (ou quem sabe um fantasma), mas, tanto faz, pois àquela altura, eu só queria dormir tranquilamente, mesmo que na presença de uma assombração. Então, fiz um cafuné em sua cabeça para que ela perdesse o interesse no inseto-fantasma. Demorou um pouco, mas deu certo. Ela repousou a cabeça em meu braço e dormimos.

Passaram-se duas relaxantes horas de sono até que senti um narizinho gelado em minha bochecha. Era meu filho, mostrando que estava com fome. Levantamos os três da cama e dei-lhes ração, que comeram vagarosamente pois o sono imperava. Enquanto isso, aproveitei para comer algo também. Os três, de volta à cama: cobri meu filho, ajeitei meus travesseiros, peguei minha filha nos braços e nos deitamos, então tudo novamente.



Comentários

hostinger

Postagens mais visitadas