Pular para o conteúdo principal

Destaques

Como Fazer um Vaso Suspenso - DIY

Olá

Hoje, vou ensinar a fazer um vaso suspenso. Aqui em casa é a única forma que posso cultivar plantinhas, pois meus filhos (um casal de gatos) comem todas as que estiverem ao alcance deles.
Eu e meu marido montamos o vaso para abrigar uma cebola que brotou na gaveta da geladeira. Todos os materiais que usamos tínhamos em casa, mas, caso você não os tinha pode encontrá-los na Leroy Merlin - me patrocina Leroy?




Você vai precisar de um pote de vidro, mais ou menos dois metros de cabo de aço, uma abraçadeira e uma roldana com parafuso.  

Enrolamos o cabo de aço em volta da boca do pote, com uma das pontas saindo pela trava dele e outra pela tampa. Unimos as duas pontas com a abraçadeira para ficar bem seguro, em seguida passamos o restante do cabo pela roldana, a qual parafusados em uma prateleira, e finalizamos com várias voltas e amarrações do cabo na mão francesa que sustenta a prateleira.  




Muito fácil e lindo!
E você, gostou?

Sobre Respeitar as Vagas Para Deficientes

Hoje, fui ao banco, pois precisava pagar algumas contas. Chegando lá, encontrei um veículo de empresa, do tipo van-só-que-não-com-logotipos-por-toda-parte, ocupando a vaga reservada para deficientes. Acabei descobrindo que a tal empresa iria trocar os extintores do banco. Logo vi, então, que se tratava de uso indevido da vaga.

Aproximei meu carro e, educadamente, perguntei, a um dos funcionários que se encontrava no veículo se ele iria demorar; em resposta, e demonstrando grande indiferença, disse que sim. Nesse instante, já contendo com esforço minha irritação, disse a eles que aquela vaga é destinada a deficientes -assim como eu mesma-, e que precisava usá-la. Imediatamente ele se recusou acenando a cabeça enquanto a abaixava para mexer no celular.

Dirigi-me ao estacionamento do banco e expliquei a situação ao manobrista, em um tom de voz elevado, para que o outro funcionário da empresa X, que  se encontrava próximo, ouvisse e fizesse algo. E nada aconteceu. O manobrista disse que não poderia fazer nada e parando ali eu teria de pagar.
Estacionei e subi as escadas. Sim, escadas, pois o estacionamento não tem as acesso a deficientes, já que a vaga fica fora do local. Paguei as contas e fui reclamar a um atendente do banco, que me orientou, em uma próxima ocasião, a bloquear com meu carro a saída do veículo que estiver usando a vaga, entrar no banco e pedir ajuda, que farão com que a pessoa tire o veículo, para que eu possa parar o meu.

O atendente me acompanhou até um daqueles funcionários e lhes solicitou firmemente que retirassem o carro da vaga. Desci as escadas, paguei o estacionando e sai com o carro, foi aí que vi o veículo da empresa X saindo da vaga de deficiente.

Espero que os três funcionários do carro, tenham aprendido a lição e não repitam o erro. Minhas limitações não são tão grandes, e, graças a Deus, consigo subir a escada em questão. Mas, e quanto aos que não conseguem?


Por favor, respeitem as vagas para deficientes. Ela é ótima, sempre bem localizada e maior em área, intencionamente, pois precisamos. Ok?!.

Comentários

hostinger

Postagens mais visitadas