Pular para o conteúdo principal

Destaques

SALVATORE FERRAGAMO: Campanha Primavera-Verão 2021

Suspense, intriga e belas estrelas na campanha primavera-verão 2021 da Salvatore Ferragamo - “Director’s Cut”. Cortada diretamente pelo diretor indicado ao Oscar Luca Guadagnino da atmosfera do filme para a coleção, a campanha de Salvatore Ferragamo para a primavera-verão 2021 é uma obra-prima de refinamento do suspense. O portfólio de fotos e um curta, com curadoria de Guadagnino ao lado do diretor criativo Salvatore Ferragamo, Paul Andrew, se baseia no filme inspirado em Alfred Hitchcock, ambientado em Milão, que foi exibido antes do desfile de moda em setembro de 2020. Concebida como uma homenagem a Hollywood – o local do primeiro sucesso de nosso fundador – e a Milão – o local da expressão da moda de Salvatore Ferragamo no século 21 – a campanha combina nossa herança de artesanato artístico e inovação técnica. O elenco de Guadagnino é composto por Mariacarla Boscono, Maggie Cheng, Jonas Glöer, Samer Rahma e Anok Yai. A alquimia do olho do diretor os reúne em uma série de mise-en-sc

Ronaldo Fraga: Gênio e Designer.

Escrevi algo sobre o último desfile do Ronaldo Fraga, já tem um tempinho, mais vale a pena públicar:

31 de Janeiro as 18h00 fomos agraciados mais uma vez com o desfile do gênio e designer Ronaldo Fraga, intitulado de “Athos do início ao fim”. A coleção de inverno 2011 agradou esteticamente e intelectualmente,
Ronaldo teve como base para suas criações as obras de Athos Bulcão, um artista completo. Obras essas de seu inicio e intermédio de carreira que tinham formas mais delineadas e geométricas e ao fim linhas tortuosas e tênues por conta dos sintomas de Parkinson que o acometeu.
A cenografia foi montada com diversos croquis da coleção no tamanho de azulejos pendurados a cima da passarela, relembrando os famosos azulejos de Athos. O desfile abre ao som do violão com “Se Todos Fossem Iguais a Você” de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, acredito que em forma clara de homenagear Athos Bulcão, e continua com um popurri de músicas.
A modelo que abre o desfile transita pelos croquis e na pose final não chega ao fim da passarela deixando assim seu rosto encoberto pelos croquis, algo significativo principalmente nos desfiles do Ronaldo que por vezes não específica um “corpo” para vestir suas peças.
Apresentou uma coleção feminina com estampas geométricas que foram retiradas dos azulejos de Athos, um deles bastante conhecido da Igreja Nossa Senhora de Fátima em Brasília. As modelagens das peças também partem de um geometrismo mais que ao vestir tem excelente caimento e movimento. Muitas peças são construídas a partir da sobreposição de retângulos de diversos tamanhos.
A cartela de cores é retirada das obras tanto para a construção da coleção quanto para o make up.
Ronaldo traz transparências que acredito estar no inconsciente coletivo dos criadores que desfilam suas coleções nesta edição do SPFW.
O desfile se encerra com a música “Escravo da Alegria” de Toquinho, para certamente demonstrar sua felicidade ao criar embasado pelas obras de Athos Bulcão.

Comentários

Postagens mais visitadas